/ Cristianismo Rosacruz

Ser ou Não Ser Livre: Parte II

A Imaturidade perante a generosidade da Vida acarreta perda parcial ou total da liberdade. Acordar e amadurecer exige Responsabilidade!

O Espírito é naturalmente livre.

 A Consciência do Espírito, ao penetrar nas regiões densas da matéria, revive memórias automáticas baseadas em padrões antigos. Esse processo dificulta a Sua expressão. Para que o Espírito possa se manifestar na personalidade (personagem encarnada, repleta de condicionamentos e crenças limitantes), faz-se necessário que Ele encontre um lugar no mundo onde possa se expressar e cumprir Seu Destino. 

No presente momento, o maior desafio, frente ao mundo automatizado e virtualizado, é encontrarmos formas de agir sobre o Fenótipo. Como vimos na  Parte I (Genótipo, Fenótipo e Destino), é no Fenótipo que reside a parcela do campo de ação com mais possibilidades de arbítrio e de regência sobre o destino.

Os signos de água e terra,  representantes do conservadorismo, relacionam-se ao Genótipo. Já o Fogo e o Ar, renovadores, dinâmicos e inquietos, relacionados à parte fenotípica, podem nos libertar quando devidamente ativados pela Vontade. 

Os aspectos entre os planetas (trígonos, sêxtis, quadraturas, oposições…) também relacionam-se ao Fenótipo e são passíveis de intervenção consciente, caso sejamos capazes de reger nossas estrelas. Mas o que seria necessário para que realmente possamos nos libertar? 

A imaturidade perante a Generosidade da Vida 

acarreta perda parcial ou total da Liberdade.

Acordar e amadurecer exige Responsabilidade!

Hoje em dia, porém, essa Responsabilidade está terceirizada.Todos os métodos que prometem a “iluminação” acelerada, ou com o uso de substâncias que alterem o estado de consciência, produzem apenas a sensação ilusória dessa suposta “iluminação”. 

Na Carta Natal temos acesso às intervenções que devem ser implementadas no processo de individuação. As memórias pertencem ao reino lunar. A Lua também armazena remotos procedimentos automatizados em vidas passadas. A Cauda de Dragão indica pontos de fixação e estagnação. 

Cauda de Dragão, Lua e Saturno representam os principais “gargalos” que atravancam a Evolução Espiritual, estrangulando o destino.

Max Heindel, no Conceito Rosacruz do Cosmos, afirma que 

a Evolução não dá saltos.

A recomendação é começar pela purificação (faxina interna) e lapidação do caráter. Ao conservarmos velhos e obsoletos hábitos, adiamos as mudanças que são realmente urgentes para a Evolução Espiritual. Mudanças apenas exteriores (superficiais ou periféricas) dissipam energia. Representam perda de tempo e investimento na ilusão.

 Conheça-te a ti mesmo e conhecerás o Universo e os Deuses.

Quando somos afetados por impactos perturbadores, devemos penetrar na raiz original causadora da perturbação, encarar nossos defeitos e os “gatilhos” que desencadeiam ciclos viciosos. É isso o que se entende por responsabilizar-se pela própria Evolução Espiritual, ou seja, fazer a “lição de casa” na Escola da Vida.

Enquanto a passividade e a natureza egoísta e reativa dominarem nosso temperamento, os males que nos afetam se perpetuarão.

Quando a Consciência, por impulso interno e ânsia de progresso, aprende a mergulhar nas águas profundas do coração, ela passa a sentir em si duas convocações distintas e geralmente opostas: a da personalidade (presa à matéria) e a do Espírito (desejoso de retornar à Casa do Pai).

 Conforme se processa a Evolução, o Espírito assume o comando de Seus Veículos e a personalidade converte-se em dócil servidora das necessidades do Espírito.

O Espírito percebe a Voz do Cristo no seu íntimo. 

Se pedirmos com Fé, ouviremos.

Felizes são os que mendigam o Espírito: deles é o Reino dos Céus (Mat. 5:3).

QUE AS ROSAS FLORESÇAM EM VOSSA CRUZ!

Posts recentes

Categorias

Arquivos

Design por: Maurilio Souza | Programado por: Loooping

X