/ Cristianismo Rosacruz

Os Caminhos do Fogo e da Água

A Filosofia Rosacruz visa realizar o casamento místico entre os “Filhos Caim” (cientistas) e os “Filhos de Seth” (místicos), e enfatiza a necessidade de todo aspirante buscar a união entre a razão e o coração promovendo a fusão entre Água e Fogo.

Observando a diversidade de seres humanos, duas classes de pessoas nos chamam a atenção. Uma delas se destaca pelo espírito empreendedor, dinâmico, proativo. São guiadas pelo intelecto e pela ambição de construir um mundo melhor com a força das próprias mãos. A ciência esotérica denomina-os Filhos do Fogo ou Filhos de Caim. No outro extremo, encontramos os assim chamados Filhos da Água ou Filhos de Seth. Sua natureza é devota e mística, geralmente ligada a alguma religião de cunho exotérico. Guiam-se pela fé, acatam princípios dogmáticos, acreditam em valores morais como ideal de redenção, depositam a esperança de salvação em líderes espirituais e autoridades religiosas.

Os Filhos do Fogo e da Água constituem duas classes de arquétipos e definem duas correntes espirituais específicas. Na cosmologia bíblica da Criação, descrita nos Ensinamentos Rosacruzes, encontramos a origem dessas forças que caminham em direções divergentes.

Max Heindel fala-nos de Jeová como o mais Alto Iniciado do Período Lunar. Jeová tem sob sua direção a Onda de Vida Angélica. Criou Eva, mas impôs uma condição: não comer do fruto da Árvore do Conhecimento

Nos bastidores, Samael (a serpente), Espírito Luciférico da Hierarquia dos Anjos do Fogo, com retórica persuasiva, induziu Eva a comer o “fruto proibido” com uma promessa irresistível: assegurou-lhe que esse fruto poderia torná-la tão divina como os Elohim, Deuses Criadores. O ato da desobediência a Jeová teve um preço alto, a expulsão do Paraíso.

Mas, Samael tinha projetos mais ambiciosos. Com o Poder Gerador do Fogo fecundou Eva. Dessa união nasceu Caim, o primogênito de Eva.   Caim passou então a ser chamado “O Filho da Viúva”, assim como seus descendentes, os Filhos do Fogo.

Jeová criou Adão com o “barro da terra”, indicando seu posto de legítimo herdeiro da Terra, bem como o estado mineral da Mente recém adquirida. Da união de Adão e Eva nasceu Abel e posteriormente Seth. Eram dóceis à autoridade Jeovística. Verdadeiros Filhos da Água. Caim, pela paternidade de Samael, era de origem Semidivina. Espírito rebelde, cultivava o solo para multiplicar suas riquezas. Abel, por sua vez, contentava-se em apascentar os rebanhos, mantendo-se fiel a Jeová. Seus descendentes vivem pela fé e não pelas obras como os Filhos do Fogo.

Em consequência desse antagonismo e da disputa pela atenção de Jeová, Caim matou Abel. Essa animosidade perpetua-se entre seus descendentes até hoje.

Para o estudante atento e observador, fica evidente que essas duas tendências se manifestam como inclinações no temperamento dos seres humanos. 

Os Filhos de Caim criaram todas as artes e ciências. Voluntariosos, pragmáticos, independentes, moldaram uma civilização utilizando recursos intelectuais e tecnológicos, extraindo da matéria o máximo de suas potencialidades. Na concretização de seus objetivos passam ao largo de influências religiosas. Guiam-se mais pela Mente objetivada no mundo material, do que pelos apelos do coração.

Em contraposição, as religiões representantes dos Filhos de Seth utilizam o elemento água para neutralizar a ação do fogo dos Filhos de Caim. Exemplos disso são o Ritual do Batismo e a água benta na entrada das igrejas. São as “ovelhas” que se deixam conduzir pelo pastor, confiando na orientação divina e nos chefes religiosos. Guiam-se, de modo geral, pela intuição e pelos clamores do coração.

Apesar das diferenças, essas duas forças ainda podem colaborar entre si e complementar suas qualidades. Encontramos um exemplo na construção do Sagrado Templo de Salomão. Salomão era reconhecido por sua sabedoria e sensibilidade poética. Mas não possuía o conhecimento nem a habilidade de um Filho do Fogo para erigir aquela magnífica construção. Assim, foi necessário recorrer a Hiram Abiff, mestre-artífice da linhagem dos Filhos da Viúva (Filhos do Fogo). Salomão, intuitivo e sábio Filho da Água, necessitou do intelecto e do dinamismo criativo de um Filho do Fogo, para a concretização da monumental obra.

Salomão renasceu como Jesus de Nazaré, cujo Espírito trabalha atualmente com as Igrejas desde os Mundos Espirituais. Hiram Abiff renasceu como Lázaro e posteriormente como Christian Rosenkreutz, o venerável fundador da Ordem Rosacruz.

Essas duas forças representam os conflitos derivados das polaridades internas inerentes ao ser humano. Num tempo futuro elas deverão cooperar mutuamente equilibrando as potências da natureza em comunhão de propósitos. No processo evolutivo tudo converge para o todo, a Unidade no Seio de Deus.

Por Gilberto Silos

Posts recentes

Categorias

Arquivos

Design por: Maurilio Souza | Programado por: Loooping

X