/ Astrologia

O Que são Aspectos Astrológicos- Parte II

O Sêxtil e o Trígono são geralmente considerados aspectos benéficos e  favoráveis na vida de uma pessoa. 

 Porém, não devemos entendê-los como aspectos de sorte, porque no horóscopo todas as realidades expressas são efeitos de causas geradas no passado. Esses dois aspectos revelam os níveis de consciência alcançados pelo ser humano. 

O Sêxtil indica que já houve um esforço de 

melhoria de caráter em existências anteriores. 

Libera mais energia para que o indivíduo dê continuidade ao seu trabalho evolutivo. Seus efeitos são mais concretos e se manifestam com mais evidência em relação ao Trígono. As influências dos planetas que formam esse aspecto se combinam e se harmonizam mutuamente. Mesclam influências de natureza semelhante, tais como fogo e ar, terra e água. Suas energias estimulam as atividades e os processos de mudanças. 

O Trígono revela uma força latente disponível para uso futuro.

 Corresponde a um fluxo facilitador de oportunidades.

 Resulta da recompensa por avanços conquistados no passado.

No Sêxtil, os signos envolvidos se harmonizam, portanto os planetas com esse aspecto irradiam energias construtivas e compatíveis. São oportunidades de crescimento já engatilhadas pelo destino, basta a atenção e interesse por parte do nativo. No entanto, o potencial do Sêxtil pode permanecer latente se não for devidamente disparado. 

Quanto ao Trígono, em linhas gerais considera-se esse aspecto como o resultado de um trabalho de regeneração da consciência em vidas passadas. Indica que há mérito decorrente deste esforço. Comumente é entendido como um aspecto de boa sorte e conforto psicológico. No entanto, há o risco de estimular a indolência, a autoindulgência e o comodismo. 

No Trígono os planetas agem de forma conjunta, num processo de próspera parceria entre eles. 

Como resultado, o Trígono pode suavizar os aspectos mais tensos e as grandes provações programadas pelo destino maduro. É considerado o aspecto mais harmonioso porque há entendimento e colaboração entre os dois planetas, em geral em signos do mesmo elemento.  

O estudo e a interpretação do tema astrológico deve motivar-nos a um aprofundamento do entendimento da natureza que nos constitui.

 É uma via conducente ao autoconhecimento. E, principalmente, deve estimular-nos à colaboração e à harmonização com as forças planetárias. Isso pode infundir mais consciência, propósitos e significados em nossas vidas.

Como revelou Santo Agostinho

“Há alguém dentro de mim que é mais “Eu” do que eu mesmo”. 

Einstein certa vez afirmou:  

“o ser humano é uma parte do Todo que chamamos “Universo”, uma parte ainda limitada no tempo e no espaço”. 

Nossa missão e responsabilidade, por meio do estudo da astrologia, é expandir os limites da consciência e do Ser.  

Que as Rosas Floresçam em Vossa Cruz!

Por Gilberto Silos

Posts recentes

Categorias

Arquivos

Design por: Maurilio Souza | Programado por: Loooping

X