/ Astrologia

O que são Aspectos Astrológicos- Parte I

No âmbito da astrologia, aspectos são ângulos formados entre os planetas conforme suas posições nos signos.

Do movimento dos planetas resultam os mais variados ângulos entre eles. Essa distância angular, medida em graus, determina a qualidade da interação e da influência dos astros na vida das pessoas. Por exemplo, quando a distância entre dois planetas é de 90 graus, eles formam um aspecto chamado quadratura. Assim temos:

Sêxtil: ângulo de 60 grau;

Quadratura: ângulo de 90 graus;

Trígono: ângulo de 120 graus;

Oposição: ângulo de 180 graus;

Conjunção: dois planetas no mesmo grau.

É preciso ficar claro, entretanto, que embora havendo um grau exato para definir a distância angular entre os planetas, considera-se uma margem de tolerância, denominada orbe, em que prevalece a sua esfera de influência.  

As quadraturas, oposições e algumas conjunções são consideradas aspectos maléficos. Trígonos e sêxtis são chamados de benéficos. 

Porém, não podemos interpretar um mapa astrológico rigorosamente assim. Seria um reducionismo temerário, porque tanto a Vida Cósmica como a microcósmica apresentam dinamismo em eterno fluxo. Elman Bacher, por exemplo, afirma que “um trígono ou sêxtil só é bom se exercer a função regeneradora dos maus aspectos”. 

Homens e mulheres extraordinárias, com quadraturas e oposições em seus horóscopos, deram relevante contribuição ao desenvolvimento da humanidade. Suas vidas foram difíceis, não obstante superaram inúmeros obstáculos e deixaram um reconhecido legado em suas áreas de atuação. 

Os aspectos benéficos podem gerar acomodação, por outro lado, os maléficos e desafiadores podem oferecer oportunidades de crescimento quando compreendidos e bem aplicados.    

Quadraturas, oposições, e algumas conjunções indicam experiências necessárias à conscientização de transgressões originadas em vidas passadas. Oferecem experiências corretivas, principalmente no que concerne às falhas de caráter. Pois caráter e destino caminham de mãos dadas.

Desarmonias e sofrimentos têm finalidade educativa e não punitiva, como geralmente se crê. Servem de estímulo à adoção consciente de novos padrões de conduta, capazes de levar o indivíduo a escolher caminhos mais coerentes com o processo evolutivo. São lições necessárias para a transmutação de aspectos irregenerados do comportamento humano e isso exige esforço e coragem. 

Dos aspectos, a quadratura é o mais conflituoso, mantendo uma relação de tensão entre os planetas. 

Os astros em quadratura expressam energias desgovernadas e ainda não regeneradas. Esse aspecto atua no sentido de produzir tensões que impelem à ação vigorosa, às vezes abrupta e descontrolada, visando retirar a alma do cristalizante comodismo.  Eventos traumatizantes, enfermidades de duração prolongada, reviravoltas na vida das pessoas, geralmente são provocadas por quadraturas. 

Há uma desarmonia básica entre planetas em quadratura, porque se localizam em signos cujas naturezas são incompatíveis. 

Metaforicamente falando, planetas em quadratura discutem entre si. Eles se atritam, brigam e competem. Em geral, planetas em quadratura ocupam signos de naturezas dissonantes. Por exemplo, os signos do ar não se harmonizam com os signos de terra e água.

A oposição indica forte tensão frontal entre  forças de natureza oposta. Gera antagonismo.

São conflitos entre signos cujas energias fluem em direções contrárias, como por exemplo, Touro e Escorpião, Virgem e Peixes, Câncer e Capricórnio. 

Por exemplo: Leão exige reconhecimento e glória para engrandecimento próprio. Já Aquário, luta para que os interesses do grupo sejam priorizados. 

Há um lado positivo nesses conflitos: 

Eles auxiliam o entendimento e a percepção de nossa bipolaridade carregada de contradições. 

Na oposição temos a oportunidade de ver, nos outros, a projeção dos nossos defeitos. Quando a oposição é superada e transformada em aliança de forças, aumentamos o potencial libertador e criativo do destino.     

Quando dois ou mais planetas se encontram no mesmo grau ou próximos, diz-se que estão em conjunção

A conjunção é um aspecto poderoso. Pelo fato de somarem e multiplicarem as energias dos planetas envolvidos. Pode dar margem a situações tanto positivas como desafiadoras, dependendo da natureza de cada planeta em questão. 

  Exemplificando: a conjunção de Júpiter sempre revela a expansão de sua influência sobre o outro planeta. Quando se trata de Saturno, este sempre limita a influência do astro com o qual faz conjunção. Com Urano, observamos conjunções com resultados explosivos.                                         

As conjunções concentram muita energia e podem indicar início de ciclos existenciais. É oportuno considerar com atenção o potencial transmutador das conjunções. Na segunda parte desse texto trataremos dos trígonos e sêxtis, considerados aspectos benéficos e favoráveis no curso do destino.

Que as Rosas Floresçam em Vossa Cruz

Gilberto Silos

Posts recentes

Categorias

Arquivos

Design por: Maurilio Souza | Programado por: Loooping

X