/ Cristianismo Rosacruz

O Equinócio de Setembro- Convite à Reflexão

Em nossa jornada evolutiva já percorremos um longo caminho. Tal como simbolizado na Parábola do Filho Pródigo, saímos inconscientes da “Casa do Pai” e enfrentamos o “mundo” em busca da autoconsciência. Não sem percalços, conquistamos a individualidade ( Eu sou) e o exercício do livre-arbítrio.

É graças ao auxílio das Hierarquias Divinas que nosso desenvolvimento, da inconsciência até a supraconsciência pode ocorrer. E tal auxílio é mais necessário quando a jornada alcança pontos de inflexão, pois o uso incorreto do livre-Arbítrio ou o nosso desconhecimento das Leis da Natureza, podem produzir resultados catastróficos.

As consequências podem ser tão adversas que há dois mil anos a continuidade da nossa evolução tornou-se ameaçada. O esquecimento de nossa Origem Divina e Espiritual, resultou em extremo egoísmo e materialismo. O Acesso aos mundos Espirituais tornou-se extremamente difícil, devido aos efeitos cristalizantes que produzíamos neste estado de decadência.

Uma das principais chaves para o entendimento espiritual está no axioma hermético: “Como em cima, assim é embaixo”. Sabemos que atitudes, pensamentos e sentimentos negativos afetam nossa saúde, criando um processo de cristalização e degeneração do Corpo Físico. Do mesmo modo, a terra que é um organismo Vivo, padece dos mesmos efeitos, porém causados pela soma das atitudes, pensamentos, sentimentos de toda a humanidade. Assim o comportamento humano implica numa responsabilidade individual e coletiva. Max Heindel afirma no Conceito Rosacruz do Cosmos que: 

“o mundo é exatamente o que nós próprios, individual e coletivamente, temos feito dele, e será tal qual o fizermos. Em tudo quanto ocorre, há uma causa de natureza espiritual manifestando-se a si mesma, inclusive o alarmante aumento da frequência de perturbações sísmicas, que têm origem no pensamento materialista.”

Para evitar o processo natural e colossal da Lei da Consequência e seus efeitos cataclísmicos, seria necessário recorrer a uma Lei Superior, capaz não apenas de curar nossas feridas coletivas, mas também que acelerasse a jornada evolutiva humana, bem como ofertasse a chance de evitar a reincidência no materialismo. Houve, então, a necessidade de uma Intervenção Divina, cujo protagonista é o Ser Divino, Cristo. Na Filosofia Rosacruz, aprendemos que o Cristo é pertencente a uma Hierarquia Divina mais antiga e diferente da Humana. Por este motivo, para que pudesse realizar a intervenção na terra, Ele necessitou dos veículos inferiores ( Corpo Físico e Corpo Vital) de Jesus de Nazaré, tornado-se Cristo- Jesus.

Quando de Sua Crucificação, o Sangue Venoso vertido no Gólgota permitiu a esse Grande Espírito Solar, o Cristo libertar-se do Corpo Físico de Jesus e compenetrar a Terra com seus próprios veículos, tornando-se seu regente. A partir deste ponto, Sua missão Cósmica inclui a descristalização, purificação e transformação das condições terrestres . Por isso Ele é conhecido pela Igreja Católica como o ” O Cordeiro de Deus que retira o pecado do Mundo”. Por este motivo Ele é Nosso Salvador. Seu labor e influência sobre a Terra e seus habitantes ocorrem, ciclicamente, nos solstícios e equinócios.

O Equinócio de Setembro é o tempo de entrada das revitalizadoras vibrações crísticas no planeta.

 O retorno anual do Cristo, garante a sobrevivência física da humanidade, bem como possibilita o nosso crescimento anímico. Tal generosa infusão de Vida, permanece no planeta pelos próximos seis meses. Por meio desse processo regenerador coletivo, é possível empregar material mais puro na formação dos nossos veículos, alcançando a cura das doenças e dando continuidade ao nosso desenvolvimento espiritual.

Estejamos conscientes, porém, de que o Cristo Cósmico cumpre sua missão salvadora às custas de grande sacrifício. Está muito além do nosso alcance, imaginar como lhe é penoso suportar as baixas vibrações deste planeta, sobrecarregado com o peso das transgressões humanas.

O equinócio de setembro é um momento solene para os estudantes Rosacruzes. Época de reflexão sobre a responsabilidade de cada um, no aprimoramento de seus veículos superiores. Somente quando um número  suficiente de seres humanos formar seus corpos-alma, será possível  manter  a Terra flutuando no espaço. O Cristo, então, se libertará de sua  “cruz terrestre” e definitivamente exclamará: CONSUMMATUM EST

Por Gilberto Silos

Posts recentes

Categorias

Arquivos

Design por: Maurilio Souza | Programado por: Loooping

X