/ Cura Saúde

hoje é dia de Cura!

OS PRINCÍPIOS ROSACRUZES DE CURA Um ditado comum diz que “o homem tem breves dias e longos problemas”. Entre todas as vicissitudes da vida, nenhuma nos afeta tão poderosamente como a perda da saúde. Podemos perder a fortuna ou amigos com relativa equanimidade. Mas, se a saúde declina, e o espectro da morte ameaça, até … Continuar

OS PRINCÍPIOS ROSACRUZES DE CURA


Um ditado comum diz que “o homem tem breves dias e longos problemas”. Entre todas as vicissitudes da vida, nenhuma nos afeta tão poderosamente como a perda da saúde. Podemos perder a fortuna ou amigos com relativa equanimidade. Mas, se a saúde declina, e o espectro da morte ameaça, até o mais forte vacila.

Compreendendo a impotência humana, ficamos mais inclinados a procurar socorro no Poder Divino do que em outras ocasiões menos desfavoráveis. Daí o papel exercido pelo conselheiro espiritual estar sempre mais associado aos líderes religiosos ou sacerdotes.

Entre os selvagens, o sacerdote também exercia a função de “curandeiro”. Na Grécia antiga, Esculápio era muito procurado pelos carentes de saúde. A Igreja seguiu essa linha. Algumas ordens católicas prosseguem seu ministério de aliviar a dor dos fiéis desde séculos passados até o presente.

Em tempos de doença, “o bom padre” vinha como representante de nosso Pai do Céu. Muitas vezes lhe faltava perícia, mas lhe sobrava amor e compaixão (supondo que ele fosse, deveras, um verdadeiro e santo padre). Sua radiante fé, combinada com os ritos litúrgicos, reanimava o paciente.

Os cuidados não começam na cabeceira do leito do paciente, no início da doença, nem terminam após a recuperação. A gratidão do enfermo para com os cuidados médicos recebidos é somada à veneração dirigida ao conselheiro espiritual. Portanto o sacerdote tem sua retribuição, e em dobro. Consequentemente, seu poder de ajudar e injetar ânimo no paciente multiplica-se. Além disso, os laços entre eles estreitam-se e ganham força. Logo a dupla função exercida pelo “sacerdote-médico” tem resultados mais eficazes do que se fosse exercida separadamente. 

Não podemos negar que o duplo encargo enseja ao curador um poder imensamente perigoso. Infelizmente, em muitos casos há abuso desse poder. 

É evidente que a medicina atingiu um grau de eficiência conquistado graças, também, ao devotamento e sacerdócio dos pesquisadores dedicados a este específico fim, ou seja, curar. Somam-se diversos avanços. A promulgação de leis sanitárias; a extinção dos insetos transmissores de moléstias; as vacinas e a consequente imunidade a certas doenças. Essas conquistas dão o monumental testemunho do valor dos métodos científicos modernos.

Que as rosas floresçam em vossa cruz!

Livro Ensinamentos de um Iniciado – Max Heindel

Posts recentes

Categorias

Arquivos

Design por: Maurilio Souza | Programado por: Loooping

X