Áries 2022- A íntima batalha de renúncia à Personalidade

Com a entrada do Sol em Áries, o primeiro signo do zodíaco, iniciamos o ano astrológico de 2022. Nesse ano par, extremamente diabólico, urge a priorização do Espírito em relação à matéria. Atenção máxima deve ser destinada à cura da doença do momento: o enaltecimento da personalidade. A elevação do padrão vibratório do belicoso Marte e a purificação de Vênus são tarefas para esse ano.

Em Peixes 2022 discorremos sobre a forma de nos posicionarmos frente ao psiquismo reinante, a fim de evitar os embates diabólicos que imperam e nos dominam. Agora é o momento de concentrarmos energia nos movimentos da Alma e assim adquirir clareza panorâmica e força direcionada para agir sem dissipação.

Incentivado pelo sistema capitalista, que gera carências e vende falsas soluções, o demônio (antagonista) fabrica ilusões sedutoras, que capturam e escravizam o Desejo.  Para essa finalidade ele se serve dos 3 Ps: prazer, posse e poder. A maior captura, entretanto, é o enaltecimento da personalidade (personalidade egocentrada ou Anti-Cristo).

Com a hipertrofia da personalidade a Luz do Cristo permanece na penumbra.

Áries, signo onde o Sol se exalta, representa a Páscoa, a passagem da escuridão para a Luz. Para quem tem olhos de ver, uma porta se abre, possibilitando a purificação do sangue envenenado que hoje circula em nossas veias e nas relações humanas. Essa transformação só é possível pela Veneração (adoração ao divino). Astrologicamente falando, para desenvenenar o sangue necessita-se da regeneração dos planetas Marte e Vênus.

Marte (Áries e Escorpião) e Vênus (Libra e Touro) definem a qualidade do sangue. 

Marte reforça a personalidade e expressa-se através do sangue. O Planeta Vermelho é reativo e intolerante. No corpo, sua natureza fica acentuada por alimentos impróprios, como carne, álcool e condimentos excitantes. A má alimentação polui a atmosfera mental e emocional das experiências vividas. Vênus, por sua vez, guarda relação  com a qualidade das pessoas que atraímos e com a capacidade de amar de forma pura e abnegada.

O sangue venoso (venéreo,“envenenado”) é o campo de atuação dos 

Espíritos Lucíferos, responsáveis pelas tentações.

A dinâmica de Marte e Vênus ainda não regenerados é bem demonstrada em alguns filmes recentes, entre eles O Farol, A Bruxa e O Demônio de Neon, no qual se vê claramente os efeitos do investimento no reino da aparência: a decadência e a morte. 

Forças Repulsivas (ódio), opostas às de Atração (Amor), agem sobre Marte e Vênus ainda não regenerados. Recomendamos reescrever a autobiografia de 7 em 7 anos para estudar a própria dinâmica venusiana, lembrando que: 

As emoções não redimidas subjugam a Alma e sequestram a alegria de viver.

A vaidade é o trono da personalidade não regenerada 

É imprescindível desenvolver a capacidade do discernimento, a cada instante, especialmente no ano que se inicia. Discernir entre os vícios escravizantes (Mal) e as Virtudes da Alma (Bem).

Viver no Bem é uma decisão. 

Decidir-se pelo reto agir, o reto pensar e o reto sentir. 

No vício generalizado do narcisismo (egolatria), que investe no reino das aparências e da futilidade, prepondera o enaltecimento da personalidade. Esse vício é alimentado pelas redes sociais e pelo mundo virtual, que promovem a ilusão de aproximação e de amizade, mas na verdade afasta os seres humanos, empobrecendo a principal riqueza da Alma: O Amor.

 O investimento no Reino da Essência, por outro lado, nos eleva, desenvolve o gosto pela Vida e conduz à plenitude da Alma. 

Todo o esforço sincero (Marte) na busca do equilíbrio e da beleza (Vênus) nos conduz à Bem-Aventurança e às relações harmoniosas.

Aproveitemos a aproximação da Páscoa, momento em que Cristo se sacrifica para promover a redenção dos pecados do mundo e abrir caminhos para o humilde mergulho no interior da Alma. Enalteçamos o Sacrifício do Cristo renunciando a nós mesmos e transmutando em Amor todos os acontecimentos delineados pelo Destino. Acima de tudo, estreitemos os laços com o  Cristo Interno, que mora no coração, nos orienta na direção ao Bem e fornece a Paz Profunda.

A batalha da Alma é íntima e requer fidelidade absoluta à Sintonia Vibratória do Cristo. Tudo o que não é crístico deve ser renunciado. Elevando a Sintonia Vibratória pela renúncia total a tudo o que é alheio ao Cristo, inclusive ao vaidoso ego e ao intelecto cheio de convencimento, presunção e orgulho, é possível entrar em Comunhão Espiritual com o Cristo Interno, ou o Eu Profundo.

  Vênus e Marte redimidos simbolizam o Casamento Místico da Alma com o Espírito.

Que as Rosas Floresçam em Vossa Cruz!

Posts recentes

Categorias

Arquivos

Design por: Maurilio Souza | Programado por: Loooping

X