A Coluna Vertebral- Caminho iniciático- Parte I

A coluna vertebral distingue a raça humana dos outros animais. Sua verticalidade confere propriedades especiais, uma delas é a linguagem articulada. O seu nome em si remete-nos à SUSTENTAÇÃO sendo esta a principal função no corpo-templo.

Estruturalmente, sustenta o tórax, centro do sistema respiratório e na vértebra superior, o atlas, descansa o crânio, que protege nosso cérebro. Sendo que o Axis (2ª. Vértebra cervical) é a responsável pelo equilíbrio da cabeça. Além de sustentar, relaciona as diferentes partes do tronco, protege o Sistema Nervoso Central, transmissor das informações que vêm do mundo exterior para serem interpretadas pelo cérebro. Pela mesma via, envia as respostas necessárias aos estímulos recebidos e comanda os movimentos na direção do espaço externo.

Ao referir-nos à Coluna Vertebral Humana podemos dizer esotericamente que:

  1. Ela representa o caminho que a ESSÊNCIA da Vida percorre em nós.
  2. Mostra-nos a Vida na sua Unidade, nas suas complementaridades e oposições.
  3. Possibilita a Verticalização Espiritual na evolução do ser humano.
  4. Torna flexível e elegante a pluralidade de movimentos do corpo (temos o melhor exemplo disso a dança, que exalta a flexibilidade e plasticidade da coluna). Enraizada na parte inferior do tronco, (no osso chamado sacro), a coluna vertebral, nos convida à árdua tarefa da verticalização dinâmica e equilibrada.

Constituída por 33 vértebras (4 coccígeas, 5 sacrais, 5 lombares, 12 torácicas e 7 cervicais), nos propõe a imagem ideal do CAMINHO ASCENSIONAL INICIÁTICO. Esse caminho é largo na base (sacro) e vai se estreitando até chegar ao ponto da cruz, no interior do crânio.

A coluna é o calvário e o crânio, o Gólgota do Cristão Místico. Sua tarefa é fazer com que os contrários se complementem e que possam coexistir numa convivência pacífica.

Poderíamos dizer que a coluna vertebral constitui o Centro de Comando e de Governo da nossa existência.

Através da somatória dos seus forames (aberturas que existem em cada uma das vértebras) conduz e envia, na direção do Sistema nervoso central, sensações e estímulos interpretados como informações provenientes do exterior e do interior do nosso corpo. O EQUILÍBRIO da coluna é DINÂMICO e depende de ajuste constante.

Esse ajuste é realizado a partir da atenção e observação das ações que realizamos no plano da manifestação.

Semelhante em aparência com o tronco de uma árvore, pelo qual, sobe e desce a seiva da Vida, as seivas que percorrem ao longo da coluna vertebral nutri espiritualmente o Ser através de elevadas aspirações.

Relacionada com o signo de Leão, regido pelo Sol, compartilha essa governança com a Lua, Marte, Mercúrio e Netuno. Este último chamado pelos alquimistas de Azoto, que é um gás de natureza espiritual de coloração azul-celeste, cor associada a nosso Divino Pai. Quando aquecido pelas atividades vibratórias do espirito, torna-se cada vez mais brilhante, como se fosse um fogo, o fogo da regeneração e da purificação.

A coluna vertebral é, portanto, um Luminoso Guia na caminhada evolutiva. Seu cuidado no plano físico remete-nos ao encontro com nós mesmos e pode nos conduzir à Vivência do Reino de Deus.

que as Rosas Floresçam em Vossa Cruz!

Posts recentes

Categorias

Arquivos

Design por: Maurilio Souza | Programado por: Loooping

X